quinta-feira, 30 de julho de 2009


Não me prendo a nada que me defina. Sou companhia, mas posso ser solidão.
Tranqüilidade e inconstância, pedra e coração.
Sou abraços, sorrisos, ânimo, bom humor, sarcasmo, preguiça e sono.
Música alta e silêncio.
Serei o que você quiser, mas só quando eu quiser.
Não me limito, não sou cruel comigo!
Serei sempre apego pelo que vale a pena e desapego pelo que não quer valer…
Suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato. ou toca, ou não toca.

(Clarice Lispector)

sexta-feira, 24 de julho de 2009


"É tão estranho,
os bons morrem jovens.
Assim parece ser,
quando me lembro de você ,
que acabou indo embora, cedo demais"

Meu coração hoje é só tristeza...

Em Prece!
Por Fabinho e Leo... que Deus os acolha lindamente!
Por Geórgia (Joquinha) e os filhos que encontram-se hospitalizados... excelente recuperação!
Por toda família... muita luz e força pra seguir em frente!
Por todos nós... a certeza de que os laços de amor e fraternidade são eternos, não se extinguem com a morte!

segunda-feira, 13 de julho de 2009



És um senhor tão bonito
Quanto a cara do meu filho
Tempo tempo tempo tempo
Vou te fazer um pedido
Tempo tempo tempo tempo...

Compositor de destinos
Tambor de todos os rítmos
Tempo tempo tempo tempo
Entro num acordo contigo
Tempo tempo tempo tempo...

Por seres tão inventivo
E pareceres contínuo
Tempo tempo tempo tempo
És um dos deuses mais lindos
Tempo tempo tempo tempo...

Que sejas ainda mais vivo
No som do meu estribilho
Tempo tempo tempo tempo
Ouve bem o que te digo
Tempo tempo tempo tempo...

Peço-te o prazer legítimo
E o movimento preciso
Tempo tempo tempo tempo
Quando o tempo for propício
Tempo tempo tempo tempo...

De modo que o meu espírito
Ganhe um brilho definido
Tempo tempo tempo tempo
E eu espalhe benefícios
Tempo tempo tempo tempo...

O que usaremos prá isso
Fica guardado em sigilo
Tempo tempo tempo tempo
Apenas contigo e comigo
Tempo tempo tempo tempo...

E quando eu tiver saído
Para fora do teu círculo
Tempo tempo tempo tempo
Não serei nem terás sido
Tempo tempo tempo tempo...

Ainda assim acredito
Ser possível reunirmo-nos
Tempo tempo tempo tempo
Num outro nível de vínculo
Tempo tempo tempo tempo...

Portanto peço-te aquilo
E te ofereço elogios
Tempo tempo tempo tempo
Nas rimas do meu estilo
Tempo tempo tempo tempo...

Oração ao Tempo - Caetano Veloso


Homenagem para a Lelê:

Parabéns...saúde,sorte,
sucesso, serenidade!!!

domingo, 5 de julho de 2009

Sou Eu

Sou eu, eu mesmo, tal qual resultei de tudo,
Espécie de acessório ou sobressalente próprio,
Arredores irregulares da minha emoção sincera,
Sou eu aqui em mim, sou eu.

Quanto fui, quanto não fui, tudo isso sou.
Quanto quis, quanto não quis, tudo isso me forma.
Quanto amei ou deixei de amar é a mesma saudade em mim.

E, ao mesmo tempo, a impressão, um pouco inconseqüente,
Como de um sonho formado sobre realidades mistas,
De me ter deixado, a mim, num banco de carro elétrico,
Para ser encontrado pelo acaso de quem se lhe ir sentar em cima.

E, ao mesmo tempo, a impressão, um pouco longínqua,
Como de um sonho que se quer lembrar na penumbra a que se acorda,
De haver melhor em mim do que eu.

Sim, ao mesmo tempo, a impressão, um pouco dolorosa,
Como de um acordar sem sonhos para um dia de muitos credores,
De haver falhado tudo como tropeçar no capacho,
De haver embrulhado tudo como a mala sem as escovas,
De haver substituído qualquer coisa a mim algures na vida.

Baste! É a impressão um tanto ou quanto metafísica,
Como o sol pela última vez sobre a janela da casa a abandonar,
De que mais vale ser criança que querer compreender o mundo —
A impressão de pão com manteiga e brinquedos
De um grande sossego sem Jardins de Prosérpina,
De uma boa-vontade para com a vida encostada de testa à janela,
Num ver chover com som lá fora
E não as lágrimas mortas de custar a engolir.

Baste, sim baste! Sou eu mesmo, o trocado,
O emissário sem carta nem credenciais,
O palhaço sem riso, o bobo com o grande fato de outro,
A quem tinem as campainhas da cabeça
Como chocalhos pequenos de uma servidão em cima.

Sou eu mesmo, a charada sincopada
Que ninguém da roda decifra nos serões de província.

Sou eu mesmo, que remédio! ...

Álvaro de Campos, in "Poemas"
Heterónimo de Fernando Pessoa



¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨


Não sei quantas almas tenho.
Cada momento mudei.
Continuamente me estranho.
Nunca me vi nem acabei.
De tanto ser, só tenho alma.
Quem tem alma não tem calma.
Quem vê é só o que vê,
Quem sente não é quem é,
Atento ao que sou e vejo,
Torno-me eles e não eu.
Cada meu sonho ou desejo
É do que nasce e não meu.
Sou minha própria paisagem;
Assisto à minha passagem,
Diverso, móbil e só,
Não sei sentir-me onde estou.

Por isso, alheio, vou lendo
Como páginas, meu ser.
O que soque não prevendo,
O que passou a esquecer.
Noto à margem do que li
O que julguei que senti.
Releio e digo : "Fui eu ?"
Deus sabe, porque o escreveu.

Fernando Pessoa

quarta-feira, 1 de julho de 2009


O que nos salva todo dia?
Um gesto, um grito, uma agonia?
Um sorriso, um pulso, uma alegria?
O que nos salva todo dia, é comível, é bebível, é olfativo?
Um cafuné, uma canção, um trilhão de estrelas?
Um eu te amo ou um eu te odeio?
Uma estrada, um cão guia?
Um vulcão ou uma calmaria?
O que me salva todo dia é um ser não sei o quê...
É uma alegoria de um dia...
É uma fantasia de sereia...
É um mar azulzinho...
Um chamego doce ...
Uma luz clara...
Um banho de chuva...
Uma música de Lenine...
Um chocolate quente...
Um coração cheio...
Um bate papo com os amigos...
Um beijo enluarado...
Um amor assanhado...
Um bem querer.

Só assim é possível suportar a loucura de todo dia!

quinta-feira, 25 de junho de 2009


Morre Michael Jackson


Hoje o mundo perdeu um grande mito, um ícone de uma geração, mas também, um ser estranho, alguém que não aceitava a própria pele? um pedófilo? uma alma muito sensível? um adulto infantilizado? um Peter Pan?
De certo, só temos o talento musical, as belas músicas, as melodias completas, os clipes que tiravam o fôlego...
De resto, só muita especulação, uma grande incógnita, um mistério:
Quem era Michael Jackson?

Jamais saberemos!
Ou não...

Como diz minha amiga Ingrid: "é bizarro!"
Vá em paz...se conseguir!

segunda-feira, 22 de junho de 2009


Enquanto os homens exercem
Seus podres poderes
Morrer e matar de fome
De raiva e de sede
São tantas vezes
Gestos naturais...

Eu quero aproximar
O meu cantar vagabundo
Daqueles que velam
Pela alegria do mundo
Indo e mais fundo
Tins e bens e tais...

Será que nunca faremos
Senão confirmar
A incompetência
Da América Católica
Que sempre precisará
De ridículos tiranos
Será, será, que será?
Que será, que será?
Será que essa
Minha estúpida retórica
Terá que soar
Terá que se ouvir
Por mais zil anos...


Caetano Veloso

quinta-feira, 18 de junho de 2009


A quem possa interessar...


Eu, sujeito predicado.
Eu, ser em constante transformação.
Eu,inquieta, subversiva, inconformada...
A revolução começa por nossas posturas!
Que nossos discursos não sejam o oposto da nossa prática.
Que nossa conveniência não seja a cegueira dos nossos ideais
Que nossa ideologia não vista a capa da tirania...
Que nossas ações sejam o reflexo da nossa consciência!
E que possamos lutar pelo bem geral, não o nosso bem geral!
E tenho dito...


segunda-feira, 15 de junho de 2009








Temos muito a aprender com os animais...

domingo, 14 de junho de 2009


NO TEMPO EM QUE EU ESCREVIA CARTAS...


Na minha adolescência descobri o fantástico mundo da escrita. Escrevia muitas cartas, pelo menos duas por semana e me correspondia com amigas que hoje nem sei como estão, nem em quem se transformaram. Era sempre um prazer receber aquele envelope que com certeza traria notícias, confidências e um ligeiro panorama de como era a vida do remetente. Tinha sempre um papel colorido, com perfume, aos quais eram dados o devido valor sentimental e estético. Tudo era importantíssimo, a escolha do papel, da cor, das figuras, dos adesivos, das palavras, das notícias selecionadas, das confissões compartilhadas. Era tudo muito mais concreto, a espera, a ansiedade, a emoção de abrir o envelope, ao mesmo tempo era mágico escrever cartas, mais ainda recebê-las.

Algumas dessas amigas moravam em cidades a algumas horas da minha. Mas agíamos como se estivéssemos em continentes diferentes, tão intensas eram as confidências.... As amizades se foram, mas as cartas, estas permanecem dentro de um bauzinho que guardo como um tesouro de um tempo mágico e divertido. Hoje moro na mesma cidade com boa parte das pessoas com quem me correspondia, mas se as vê-la na rua, certamente não reconhecerei, algumas só tenho notícias e outras sequer me mandam um “scrap” ou e-mail.

Pois bem, a comunicação mudou, as pessoas mudaram, tudo ficou mais rápido, mas a carta ainda é o meio mais romântico de se comunicar. Nela tem a letra da pessoa, tem um tempo dedicado a escrever pra você, depois colocar no envelope e mandar. Nunca o e-mail ou os “scraps” superarão a mágica do contato com o papel, do real em suas mãos... e não de coisas virtuais, insólitas, como algumas relações de hoje.

Tinha uma amiga com quem me correspondia que havíamos criados heterônimos para a gente. Éramos outras pessoas, embora sendo as mesmas... era uma diversão fingir ser outra pessoa e me corresponde com outra também inventada.

Ainda tenho todas as cartas da minha época de adolescência para quem sabe quando eu ficar “famosa” alguém possa publicá-las.
Depois da internet nunca mais escrevi outra carta, é tudo muito líquido, mal dá pra guardar e sem contar que você recebe um monte por dia e quase sempre sem a devida importância pra você.

Desejo voltar a exercitar esse retorno, recuperar os sentimentos que experimentei quando ficava na ansiedade de ter notícias e de enviá-las a quem quisesse, na certeza que alguém em outro lugar me receberia por entrelinhas.

sábado, 13 de junho de 2009

"Procurando bem
Todo mundo tem pereba
Marca de bexiga ou vacina
E tem piriri, tem lombriga, tem ameba
Só a bailarina que não tem
E não tem coceira
Berruga nem frieira
Nem falta de maneira
Ela não tem

Futucando bem
Todo mundo tem piolho
Ou tem cheiro de creolina
Todo mundo tem um irmão meio zarolho
Só a bailarina que não tem
Nem unha encardida
Nem dente com comida
Nem casca de ferida
Ela não tem

Não livra ninguém
Todo mundo tem remela
Quando acorda às seis da matina
Teve escarlatina
Ou tem febre amarela
Só a bailarina que não tem
Medo de subir, gente
Medo de cair, gente
Medo de vertigem
Quem não tem

Confessando bem
Todo mundo faz pecado
Logo assim que a missa termina
Todo mundo tem um primeiro namorado
Só a bailarina que não tem
Sujo atrás da orelha
Bigode de groselha
Calcinha um pouco velha
Ela não tem

O padre também
Pode até ficar vermelho
Se o vento levanta a batina
Reparando bem, todo mundo tem pentelho
Só a bailarina que não tem
Sala sem mobília
Goteira na vasilha
Problema na família
Quem não tem"


Ciranda da Bailarina - Chico Buarque

sexta-feira, 12 de junho de 2009


Quero viver de amor...

Love is my religion!!!

segunda-feira, 8 de junho de 2009


Estou off...

Doentinha!!!

terça-feira, 2 de junho de 2009



Minha casa é meu reino

Tenho amado ficar em casa, meu espaço, meu mundo. Estou na melhor fase caranguejo que conheço...uma preguiça de sair, uma vontade de ficar no meu aconchego, uma quase reclusão...parei o mundo!


Atrás da porta
Guardo os meus sapatos
Na gaveta do armário
Coloco minhas roupas
Na estante da sala
Vejo muitos livros
E a geladeira conserva o sabor das
refeições
Minha casa é meu reino

mas eu preciso de outros sapatos
De outras roupas, outros temperos
Para formar minhas ideias e meus sentimentos
Eu sou a soma de tudo que vejo
E minha casa é um espelho
Onde a noite eu me deito e sonho com as coisas mais
loucas
Sem saber porque
É porque trago tudo de fora
Violência e dúvida, dinheiro e fé
Trago a imagem de todas as ruas por onde passo
E de alguém que nem sei quem é
E que provavelmente eu não vou mais ver
Mas mesmo assim ela sorriu pra mim
Ela sorriu e ficou na minha casa que é meu reino


Biquini Cavadão

segunda-feira, 25 de maio de 2009



Precário, provisório, perecível;

Falível, transitório, transitivo;

Efêmero, fugaz, passageiro;

Impuro, imperfeito, impermanente;

Incerto, incompleto, inconstante;

Instável, variável, defectivo;

Não feito, não perfeito, não completo;

Não satisfeito nunca, não contente;

Não acabado, não definitivo

Eis aqui um vivo, eis-me aqui.



domingo, 24 de maio de 2009



Vou postar essa música porque ela me transmite uma segurança, uma paz possível, um afeto por mim mesma e uma esperança de que tudo é muito simples e assim sendo, a vida se torna verdadeiramente possível...



"Que tal abrir a porta do dia,dia
Entrar sem pedir licença
Sem parar pra pensar,
Pensar em nada…

Legal ficar sorrindo à toa,toa
Sorrir pra qualquer pessoa
Andar sem rumo na rua

Pra viver e pra ver
Não é preciso muito
Atenção, a lição
Está em cada gesto
Tá no mar, tá no ar
No brilho dos seus olhos
Eu não quero tudo de uma vez
Eu só tenho um simples desejo

Hoje eu só quero que o dia termine bem
Hoje eu só quero que o dia termine muito bem"


Jair Oliveira





Ps: contei também com a bela imagem de uma amiga querida. E uma fotógrafa muito sensível...traduzindo tudo.

terça-feira, 5 de maio de 2009


Tudo bem
Quando termina bem
E os seus olhos
Não estão rasos d'água
Mas eu sei que no coração
Ficaram muitas palavras
Um vocabulário inteiro
De ilusão...

Tudo que viceja
Também pode agonizar
E perder seu brilho
Em poucas semanas
E não podemos evitar
Que a vida trabalhe
Com o seu relógio invisível
Tirando o tempo de tudo
Que é perecível...

É impossível - Biquini Cavadão

sábado, 2 de maio de 2009


Os homens trocam as famílias
As filhas, filhas de suas filhas
E tudo aquilo que não podem entender
Os homens criam os seus filhos
Verdadeiros ou adotivos
Criam coisas que não deviam conceber

O tempo passa e nem tudo fica
A obra inteira de uma vida
O que se move e
O que nunca vai se mover...

O tempo engana aqueles que pensam
Que sabem demais que juram que pensam
Existem também aqueles que juram
Sem saber

Sobre o tempo - Thedy Corrêa

sexta-feira, 1 de maio de 2009


No dia do trabalho
Minha homenagem às muheres pedreiras,
guerreiras, fortes,valentes...
que assim como a luta das mulheres vem se constituíndo tijolo à tijolo
vem tb buscando ocupar espaços até então inimagináveis.
Elas subiram o muro da minha casa, para conter a dureza da violência masculina cotidiana.
O muro foi erguido, mas muitos outros foram por terra...
As mãos que misturaram o cimento, a areia e aágua, misturaram também a coragem, a determinação, a auto-estima feminina, a força que nunca cessa, a delicadeza do olhar e do sentir.
Uma nova página da história foi escrita. Está sendo escrita!

segunda-feira, 27 de abril de 2009


Na primeira noite eles se aproximam
e roubam uma flor
do nosso jardim.
E não dizemos nada.
Na segunda noite, já não se escondem;
pisam as flores,
matam nosso cão,
e não dizemos nada.
Até que um dia,
o mais frágil deles
entra sozinho em nossa casa,
rouba-nos a luz, e,
conhecendo nosso medo,
arranca-nos a voz da garganta.
E já não podemos dizer nada.

No caminho com Maiakóvski- Eduardo da Costa
"... Nós vos pedimos com insistência: Não digam nunca:"isso natural!" Diante dos acontecimentos de cada dia, Numa época em que reina a confusão, em que corre sangue, em que arbítrio tem força de lei, em que a humanidade se desumaniza, não digam nunca: "isso é natural!" Para que nada passe a ser imutável!..."

Bertold Brecht

domingo, 26 de abril de 2009


Uma maravilha de notícia hoje:
Mais uma grande amiga grávida!

Ela soube hoje que está com duas semanas de gravidez e ligou pra dividir essa realização. Uma criança vindo é sempre uma renovação da humanidade...é a esperança se traduzindo em vida!!!
Que venha com muita saúde, porque amor não faltará!!! Parabéns!!!
Ps: Outra amiga está aproximadamente com 6 meses de gestação...e haja sobrinhos!!!

"Eu vi a mulher preparando outra pessoa
O tempo parou pra eu olhar para aquela barriga.
A vida é amiga da arte
É a parte que o sol me ensinou.
O sol que atravessa essa estrada que nunca passou."
Força Estranha - Caetano Veloso

Para pintar o retrato de um pássaro

Primeiro pintar uma gaiola
com a porta aberta
pintar depois
algo de lindo
algo de simples
algo de belo
algo de útil
para o pássaro
depois dependurar a tela numa árvore
num jardim
num bosque
ou numa floresta
esconder-se atrás da árvore
sem nada dizer
sem se mexer...
Às vezes o pássaro chega logo
mas pode ser também que leve muitos anos
para se decidir
Não perder a esperança
esperar
esperar se preciso durante anos
a pressa ou a lentidão da chegada do pássaro
nada tendo a ver
com o sucesso do quadro
Quando o pássaro chegar
se chegar
guardar o mais profundo silêncio
esperar que o pássaro entre na gaiola
e quando já estiver lá dentro
fechar lentamente a porta com o pincel
depois
apagar uma a uma todas as grades
tendo o cuidado de não tocar numa única pena do pássaro
Fazer depois o desenho da árvore
escolhendo o mais belo galho
para o pássaro
pintar também a folhagem verde e a frescura do vento
a poeira do sol
e o barulho dos insetos pelo capim no calor do verão
e depois esperar que o pássaro queira cantar
Se o pássaro não cantar
mau sinal
sinal de que o quadro é ruim
mas se cantar bom sinal
sinal de que pode assiná-lo
Então você arranca delicadamente
uma das penas do pássaro
e escreve seu nome num canto do quadro


Jacques Prévert
(trad. Silviano Santiago)

Acho esse texto maravilhoso e super atual.

O Último Discurso
de “O Grande Ditador”

Sinto muito, mas não pretendo ser um imperador. Não é esse o meu ofício. Não pretendo governar ou conquistar quem quer que seja. Gostaria de ajudar – se possível – judeus, o gentio... negros... brancos.

Todos nós desejamos ajudar uns aos outros. Os seres humanos são assim. Desejamos viver para a felicidade do próximo – não para o seu infortúnio. Por que havemos de odiar e desprezar uns aos outros? Neste mundo há espaço para todos. A terra, que é boa e rica, pode prover a todas as nossas necessidades.


O caminho da vida pode ser o da liberdade e da beleza, porém nos extraviamos. A cobiça envenenou a alma dos homens... levantou no mundo as muralhas do ódio... e tem-nos feito marchar a passo de ganso para a miséria e os morticínios. Criamos a época da velocidade, mas nos sentimos enclausurados dentro dela. A máquina, que produz abundância, tem-nos deixado em penúria. Nossos conhecimentos fizeram-nos céticos; nossa inteligência, empedernidos e cruéis. Pensamos em demasia e sentimos bem pouco. Mais do que de máquinas, precisamos de humanidade. Mais do que de inteligência, precisamos de afeição e doçura. Sem essas virtudes, a vida será de violência e tudo será perdido.


A aviação e o rádio aproximaram-nos muito mais. A própria natureza dessas coisas é um apelo eloqüente à bondade do homem... um apelo à fraternidade universal... à união de todos nós. Neste mesmo instante a minha voz chega a milhares de pessoas pelo mundo afora... milhões de desesperados, homens, mulheres, criancinhas... vítimas de um sistema que tortura seres humanos e encarcera inocentes. Aos que me podem ouvir eu digo: “Não desespereis! A desgraça que tem caído sobre nós não é mais do que o produto da cobiça em agonia... da amargura de homens que temem o avanço do progresso humano. Os homens que odeiam desaparecerão, os ditadores sucumbem e o poder que do povo arrebataram há de retornar ao povo. E assim, enquanto morrem homens, a liberdade nunca perecerá.


Soldados! Não vos entregueis a esses brutais... que vos desprezam... que vos escravizam... que arregimentam as vossas vidas... que ditam os vossos atos, as vossas idéias e os vossos sentimentos! Que vos fazem marchar no mesmo passo, que vos submetem a uma alimentação regrada, que vos tratam como gado humano e que vos utilizam como bucha de canhão! Não sois máquina! Homens é que sois! E com o amor da humanidade em vossas almas! Não odieis! Só odeiam os que não se fazem amar... os que não se fazem amar e os inumanos!


Soldados! Não batalheis pela escravidão! Lutai pela liberdade! No décimo sétimo capítulo de São Lucas está escrito que o Reino de Deus está dentro do homem – não de um só homem ou grupo de homens, ms dos homens todos! Está em vós! Vós, o povo, tendes o poder – o poder de criar máquinas. O poder de criar felicidade! Vós, o povo, tendes o poder de tornar esta vida livre e bela... de faze-la uma aventura maravilhosa. Portanto – em nome da democracia – usemos desse poder, unamo-nos todos nós. Lutemos por um mundo novo... um mundo bom que a todos assegure o ensejo de trabalho, que dê futuro à mocidade e segurança à velhice.


É pela promessa de tais coisas que desalmados têm subido ao poder. Mas, só mistificam! Não cumprem o que prometem. Jamais o cumprirão! Os ditadores liberam-se, porém escravizam o povo. Lutemos agora para libertar o mundo, abater as fronteiras nacionais, dar fim à ganância, ao ódio e à prepotência. Lutemos por um mundo de razão, um mundo em que a ciência e o progresso conduzam à ventura de todos nós. Soldados, em nome da democracia, unamo-nos!


Hannah, estás me ouvindo? Onde te encontrares, levanta os olhos! Vês, Hannah? O sol vai rompendo as nuvens que se dispersam! Estamos saindo da treva para a luz! Vamos entrando num mundo novo – um mundo melhor, em que os homens estarão acima da cobiça, do ódio e da brutalidade. Ergue os olhos, Hannah! A alma do homem ganhou asas e afinal começa a voar. Voa para o arco-íris, para a luz da esperança. Ergue os olhos, Hannah! Ergue os olhos!
Charles Chaplin - No filme O Grande Ditador

sexta-feira, 24 de abril de 2009


Susan Boyle é feia? Ou feios somos nós?

Susan surgiu como um patinho feio, destituída de qualidades, interiorana. Aos 47 anos, solteira, desempregada, fora de todos os padrões de beleza, solitária. Quer crime mais grave? Nunca foi beijada.

Ao participar de um dos programas de calouro mais populares da TV britânica –“Britain’s got talent”, entrou no palco tímida, desajeitada, com o rótulo garantido de fracasso. A plateia a trratou com deboche antes de sua apresentação. Foi recebida com ironia também pelos jurados. Mas ela não se intimidou. Com uma rara doçura e sem se abalar, apresentou-se. Quando abriu a boca, revelou a voz de um anjo.

Interpretando “I dreamed a dream”, do musical “Os miseráveis”, extraiu de nós todos os sentimentos: culpa, vergonha, vingança, esperança. A dona do vozeirão demoliu com altivez todos os preconceitos e deu uma lição ao mundo.

Este vídeo faz queimar o rosto dos maiores hipócritas. Mais que um exemplo de superação, é um exemplo claro que nso faz pensar sobre quais valores edificamos nossa sociedade. Não há nada de errado com ela. NADA.
Já conosco...
Uma bela lição!
Vejam no youtube:
Susan Boyle Versão Completa Legendado PT BR

segunda-feira, 20 de abril de 2009


Mais atitudes, menos palavras;
Mais respeito, menos julgamento;
Mais gentileza, menos grosseria;
Mais acolhimento, menos invasão;
Mais afetividade, menos racionalização;
Mais compreensão, menos explicação;
Mais autoconhecimento, menos auto-suficiência;
Mais afetividade, menos aspereza;
Mais confiança, menos descrédito;
Mais perplexidade, menos naturalização dos fatos;
Mais rosas, menos canhões;
Baixemos, pois, as guardas dos nossos corações endurecidos.
Só o amor nos salvará!
O amor ação, não o amor palavra...

CLARICEANDO...


"Suponho que me entender não é uma questão de inteligência
e sim de sentir, de entrar em contato,a questão é...
Ou toca, ou não toca."

"Inútil querer me classificar,eu simplesmente escapulo não deixando.
Gênero não me pega mais."


'' ... Sou como você me vê ...
Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania,
Depende de quando e como você me vê passar ... ''

"Eu sou à esquerda de quem entra. E estremece em mim o mundo.
Sou caleidoscópica: fascinam-me as minhas mutações faiscantes
que aqui caleidoscopicamente registro.
Sou um coração batendo no mundo."

"...Que minha solidão me sirva de companhia.
que eu tenha a coragem de me enfrentar.
que eu saiba ficar com o nada
e mesmo assim me sentir
como se estivesse plena de tudo."

"Ouve-me, ouve o meu silêncio.
O que falo nunca é o que falo e sim outra coisa.
Capta essa outra coisa de que na verdade
falo porque eu mesma não posso."

"E se me achar esquisita,
respeite também.
até eu fui obrigada a me respeitar."

"Abro o jogo!
Só não conto os fatos de minha vida:
sou secreta por natureza.
Há verdades que nem a Deus eu
contei. E nem a mim mesma. Sou
um segredo fechado a sete chaves.
Por favor me poupem".


"Minha alma tem o peso da luz. Tem o peso da música.
Tem o peso da palavra nunca dita, prestes quem sabe a ser dita.
Tem o peso de uma lembrança. Tem o peso de uma saudade.
Tem o peso de um olhar. Pesa como pesa uma ausência.
E a lágrima que não se chorou.
Tem o imaterial peso da solidão no meio de outros."

quarta-feira, 8 de abril de 2009


Andar com fé eu vou, que a fé não costuma "faiá"

segunda-feira, 6 de abril de 2009


Querido Diário
(Tópicos para uma semana utópica)


Segunda-feira:
Criar a partir do feio
Enfeitar o feio
Até o feio seduzir o belo

Terça-feira:
Evitar mentiras meigas
Enfrentar taras obscuras
Amar de pau duro

Quarta-feira:
Magia acima de tudo
Drogas barbitúricos
I Ching
Seitas macabras
O irracional como aceitação do universo

Quinta-feira:
Olhar o mundo
Com a coragem do cego
Ler da tua boca as palavras
Com a atenção do surdo
Falar com os olhos e as mãos
Como fazem os mudos

Sexta-feira:
Assunto de família:
Melhor fazer as malas
E procurar uma nova
(Só as mães são felizes)

Sábado:
Não adianta desperdiçar sofrimento
Por quem não merece
É como escrever poemas no papel higiênico
E limpar o cu
Com os sentimentos mais nobres

Domingo:
Não pisar em falso
Nem nos formigueiros de domingo
Amar ensina a não ser só
Só fogos de São João no céu sem lua
Mas reparar e não pisar em falso
Nem nas moitas do metrô nos muros
E esquinas sacanas comendo a rua
Porque amar ensina a ser só
Lamente longe por favor
Chore sem fazer barulho

Cazuza

sexta-feira, 3 de abril de 2009


PROGRAMA RONDA DO QUARTEIRÃO


Foi criado no intuito de assegurar ao cidadão comum uma maior sensação de segurança e tranqüilidade na cidade de Fortaleza, que é uma das grandes metrópoles em índices de violência no país. Esse projeto garantiu a eleição a Governador do Ceará de Cid Ferreira Gomes, do clã Ferreira Gomes. Antes disso ele só tinha sido prefeito da cidade de Sobral, um dos grandes municípios do Estado do Ceará.

Pois bem, em tese o Ronda do Quarteirão é um policiamento comunitário, preventivo e mais próximo da população. Que evitariam os constantes assaltos pela sua presença constante nos bairros, além de imprimir um certo temor aos meliantes. Em todos os bairros, um carro (Hilux importada) com quatro policiais estará 24 circulando o bairro. Este carro é equipado com ar-condicionado, câmeras, computador de bordo e o mais importante equipamento, um telefone com o qual a população aciona a “viatura” em caso de emergência.
Todo bairro tem um n° de telefone correspondente à sua viatura.
Na prática, o Ronda do quarteirão não consegue dar conta da insegurança instituída na cidade (ele também já está implantado em alguns Municípios do Estado), porque não consegue ser preventivo, não dá conta da demanda dos bairros (uma viatura para bairros grandes é insuficiente), só chega após haver o assalto, o roubo, a morte. Registra a ocorrência (mas não faz B.O.) e vai à busca dos assaltantes. Quantos prenderam até hoje? No meu bairro? Não se tem conhecimento. Todas as pessoas que foram assaltadas nunca viram seus algozes presos, muito menos suas coisas recuperadas. E pasmem, os assaltantes são sempre os mesmos. Mas nunca se consegue prendê-los. Vocês podem imaginar o quanto de recurso público foi gasto nesse Projeto, pois eu digo, astronômicos.

Infelizmente o Ronda do Quarteirão é hoje motivo de descrédito e piada na cidade, além de desperdício de dinheiro. Só vemos os policiais, muito bem fardados (eles vestem Lino Vilaventura - o mesmo que veste artistas como Xuxa Menguel), com status de policiamento especial, passeando de Hilux pela cidade. Verdade seja dita, a propaganda do até então candidato a governador Cid Ferreira Gomes, de que em 5 minutos após ser acionada, a viatura do Ronda já estará na sua porta, é verdade. Eles chegam rapidinho. Mas só pra constatar a revolta e a indignação do cidadão que se vê lesionado, sem seus pertences ou até sem a própria vida.

Nós bem sabemos que a questão da violência é alimentada pela desigualdade social gritante e alarmante, pela má distribuição de renda, pelo pouco aceso às condições dignas de moradia, trabalho, renda e educação da população pobre do meu Ceará. A gente sabe que não é com policiamento que se mudará a realidade desse país. Enquanto isso, como bem profetizou o filósofo e antropólogo Chico Science, "o de cima sobe e o de baixo desce!"
O buraco é mais embaixo, não é, meu povo? Mas enquanto houver mídia no país das maravilhas, tudo será permitido. Tudo será vendido!

Ah, agora ele tem um novo hiper, mega e caro projeto, quer construir um aquário gigante na Praia de Iracema para incrementar o turismo no Estado.

Alguém duvida que vire realidade?

terça-feira, 31 de março de 2009


Clariceando...



"Me deram um nome e me alienaram de mim"




sexta-feira, 27 de março de 2009


A HORA DO PLANETA

Nosso planeta em suas mãos. O futuro de nosso planeta está em suas mãos. Com sua ajuda podemos combater as mudanças climáticas, pressionando os líderes do mundo a agirem e assegurando que mais empresas se comprometam com a diminuição da emissão dos gases de efeito estufa. Seu envolvimento pode ajudar a salvar o único planeta que nós temos.
Participe, é muito fácil:
No dia 28 de Março, sábado, você apaga todas as luzes da sua casa e desligue também todos os aparelhos elétricos de 20:30h às 21:30h (1 hora). Assim você estará contribuindo para que nessa hora o planeta respire melhor e possa ser economizado o recurso natural mais importante nesses nossos tempos: a água!
A campanha visa mesmo, a conscientização sobre o aquecimento global.
E aí, vamos nessa?

domingo, 22 de março de 2009


Vontade de criar asas...de partir sem rumo...
De ser em outro lugar.
De desvendar, de descobrir, de expandir!
Minha alma clama por liberdade...
Tem tantos lugares que ainda quero conhecer... e essa sensação de que não vai dá tempo me angustiando...
Sinto que esse é o melhor momento da minha vida pra me aventurar...
“Ah, se eu fosse marinheiro, seria doce meu lar...”
Quero ser de lugar nenhum...
Quero ser estrangeira...

sábado, 14 de março de 2009


Diminuindo distâncias,
Aproximando almas e corações.
Eternizando emoções,
Concretizando afetos.



PRESENTE DA DI
O ABRAÇO MAIS ACOLHEDOR DO OESTE


Há momentos na vida em que sentimos tanto
a falta de alguém que o que mais queremos
é tirar esta pessoa de nossos sonhos
e abraçá-la.

Sonhe com aquilo que você quiser.
Seja o que você quer ser,
porque você possui apenas uma vida
e nela só se tem uma chance
de fazer aquilo que se quer.

Tenha felicidade bastante para fazê-la doce.
Dificuldades para fazê-la forte.
Tristeza para fazê-la humana.
E esperança suficiente para fazê-la feliz.

As pessoas mais felizes
não têm as melhores coisas.
Elas sabem fazer o melhor
das oportunidades que aparecem
em seus caminhos.

A felicidade aparece para aqueles que choram.
Para aqueles que se machucam.
Para aqueles que buscam e tentam sempre.
E para aqueles que reconhecem
a importância das pessoas que passam por suas vidas.

O futuro mais brilhante
é baseado num passado intensamente vivido.
Você só terá sucesso na vida
quando perdoar os erros
e as decepções do passado.

A vida é curta, mas as emoções que podemos deixar
duram uma eternidade.
A vida não é de se brincar
porque um belo dia se morre.

Clarice Lispector

quinta-feira, 12 de março de 2009


"Não vivo do passado, meu tempo é agora
Ele é que vive aqui dentro de mim"
Paulinho da Viola

"Aborto é mais grave que estupro"

- Declaração do arcebispo de Olinda e Recife, Dom José Cardoso Sobrinho, sobre a menina de 9 anos, abusada pelo padastro e que foi excomungada pela "Digníssima" Igreja Católica ao ser submetida ao aborto legal !

"Será que nunca faremos
Senão confirmar
A incompetência
Da América católica
Que sempre precisará
De ridículos tiranos
Que será, que será?
Será que esta
Minha estúpida retórica
Terá que soar
Terá que se ouvir
Por mais zil anos..."

Podres poderes – Caetano

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009


E-MAIL A UM GRANDE AMIGO

Escrevi um texto sobre o que tenho aprendido com as pessoas ultimamente...e de como minha vida está em transformação, buscando equilíbrio, diminuindo minha carga, tendo mais prazer com a vida simples, essas coisas...
Aí me aparece você num anoitecer dentro de um shopping lotado... e me acrescentou tanto, que queria dividir contigo essa experiência.
Escrevi assim sobre você:
Alexandre: Foi quem, na verdade, me motivou a estar aqui escrevendo e agradecendo a vida pela dádiva dos encontros...

Não o tinha visto e ele veio ao meu encontro com tanta luz o rodeando, com os braços e o coração abertos, leve... parecia flutuar ao me falar...em êxtase com a vida...
Perguntei se estava no mesmo trabalho (encontros ao acaso pedem perguntas e discursos prontos).
E ele me iluminou a noite naquele supermercado lotado. Tudo pareceu parar naquele instante, só estávamos ele e eu: “Vou sair do trabalho, vou morar em Paracuru, fazer o que gosto, escrever sobre a vida. Dinheiro a gente arranja, mais difícil é viver”.
E eu parecia uma menina na porta da confeitaria olhando o doce mais desejado.
Pensei por um instante: ele rompeu! Saiu da calçada dos tijolos amarelos e pegou um atalho...que inveja!
Falei quase que imediatamente: vou contigo!
E ele me olhou com uma firmeza e disse: “Vamos, Gô. Vamos comigo?”
Como se tivesse capturado a minha alma naquele instante.
Cai no abismo da Alice, de volta...e disse: “ainda não posso”.
Me olhou insistentemente dizendo com o olhar: “é possível, acredite!”
Abracei-o como quem se despede de uma mãe (cuidado com a análise dessa frase!!!kkkkkk!) e falei: “você ainda está com aquele número?”
E ele sussurrou baixinho seu celular pra mim, quase que em segredo...
E eu só consegui dizer: “tô trabalhando aqui do lado”.
E daí, fui embora...
Voltei com minha sacolinha de compras, ao local de trabalho. Levando muito mais que "coisas"...
Em êxtase... e com as palavras que não ouvi, na minha cabeça: é possível, acredite!
A vida, definitivamente me dá muitos presentes...
Obrigado Xande por ter cruzado a minha vida e ter feito diferença no meu ser...
Isso, aliás, acontece desde a faculdade...lembro do dia em que vc me levou à praia e leu Clarice pra mim, de frente ao mar...
Beijo grande, meu lindo.
Sua amiga, Gô!


E ele, docemente me respondeu:


Gô...
Tem certos momentos que acho até que tenho uma sensação plena sobre a vida.
Tem certos acontecimentos que me fazem calar com tamanho espanto de emoção.
Obrigado por compartilhar sua escritura comigo... Acho que viver é isto!
Bjs n'alma,
Xande.
"CAIO NA REDE, NÃO TEM QUEM NÃO CAIA"

video

Excelente show promovido pela Prefeitura de Fortaleza no encerramento do Pré-Carnaval da cidade e no lançamento da Campanha Contra o Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009


Saudades da minha mãe

A UM AUSENTE

Tenho razão de sentir saudade,
tenho razão de te acusar.
Houve um pacto implícito que rompeste
e sem te despedires foste embora.
Detonaste o pacto.
Detonaste a vida geral, a comum aquiescência
de viver e explorar os rumos de obscuridade
sem prazo sem consulta sem provocação
até o limite das folhas caídas na hora de cair.


Antecipaste a hora.
Teu ponteiro enlouqueceu, enlouquecendo nossas horas.
Que poderias ter feito de mais grave
do que o ato sem continuação, o ato em si,
o ato que não ousamos nem sabemos ousar
porque depois dele não há nada?


Tenho razão para sentir saudade de ti,
de nossa convivência em falas camaradas,
simples apertar de mãos, nem isso, voz
modulando sílabas conhecidas e banais
que eram sempre certeza e segurança.


Sim, tenho saudades.
Sim, acuso-te porque fizeste
o não previsto nas leis da amizade e da natureza
nem nos deixaste sequer o direito de indagar
porque o fizeste, porque te foste


Carlos Drummond de Andrade

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009


O tempo do meu joio e do meu trigo

O que eu espero das pessoas é no mínimo o que eu faria. E o que eu desejo às pessoas é sempre o eu desejo a mim.
Não espero de uma amizade, senão, atitudes...
Palavras são o de menos, mas os gestos, falam mais que tudo.
Quero dos “meus” amigos e daqueles que me são caros, senão suas manifestações de afeto. Nada mais! E afeto não se mede por presentes, por “favores”, por trocas, por quantidade de vezes que se encontram.
Pra mim, afeto se mede por preocupação, por cuidado, por se pôr no lugar do outro. Por acolher nos momentos mais difíceis e não por rir nos momentos mais fáceis.
É por isso que amizade pra mim se mede pela quantidade que se chora junto, que se pega na mão, que se olho no olho e que se sente e compreende o outro, mesmo que contrariem nossos desejos, ou não concordemos com eles.

sábado, 17 de janeiro de 2009


Nunca me traduziu tanto como agora:

Tô relendo minha lida, minha alma, meus amores
Tô revendo minha vida, minha luta, meus valores
Refazendo minhas forças, minha fonte, meus favores
Tô regando minhas folhas, minhas faces, minhas flores
Tô limpando minha casa, minha cama, meu quartinho
Tô soprando minha brasa, minha brisa, meu anjinho
Tô bebendo minhas culpas, meu veneno, meu vinho
Escrevendo minhas cartas, meu começo, meu caminho
Estou podando meu jardim
Estou cuidando bem de mim