segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Comédias da vida pública....

Minhas amigas e suas estórias:

Certo dia, Gê dá uma carona a Marry e começa esse diálogo:

- Marry, o céu tá tão esquisito, tá cinzento...
- É mesmo, quanta poluição, né?
- É, o efeito estufa tá acabando com o planeta. E esse calor insuportável? Um horror!
- E olha que a cidade da gente nem é uma grande metrópole.
E por aí foram filosofando...
Quando chegam em casa Marry liga pra Gê:
- Gê, sabe aquele céu cinzento?
-Hum...
- Mulher, era um incêndio que teve aqui perto de casa...

*******************************************************************************

Estávamos na ante-sala, aguardando o momento do encontro com o professor-psicólogo numa manhã de sábado ensolarado, daquelas que nos convida sinicamente a curtir uma praia...
A bela, sempre com um humor peculiar, salta da sua bolsa um sanduba daqueles que só a mamãe faz (bonito, suculento e invejável). Quando se prepara para a degustação, sente que o "embrulho" tá muito volumoso...
E quando abre o tal lanchinho matinal, eis que encontra o indubitável, o inesperado...
Uma bela tampa de margarina (light, porque, diga-se de passagem, ela é muito fina) bem no meio do sanduíche, entre uma fatia de presunto e outra de queijo. Detalhe, ele foi tostado na saudável torradeira que é pro sabor ficar melhor...
E ela ainda me sai com essa:
- Hum, bem que eu senti cheiro de plástico queimado...
Mãããeeee, a margarina tá sem tampa aí em casa?


Amigas, amigas...

2 comentários:

Germana disse...

Amiga... só vc mesmo pra escrever tão bem sobre uma tarde dessa... ninguém merece!!! hehehehehe
Amu tu... xerinho

ingridviana disse...

Ai ai, qual o problema em comer um sanduiche de tampa de margarina? :oP